Como tornar o estudo numa missão épica

Qualquer estudante, seja de que ano for, já teve aquele momento a meio do estudo em que olhou para a parede, ou para a janela, e mergulhou num estado semi-vegetativo por tempo indeterminado, alimentando silenciosamente uma enorme vontade de atirar com a papelada ao ar. Ou então, se forem só preguiçosos como eu, talvez até já tenham adormecido em cima dos livros – e não, nem sequer foi numa noitada de estudo intensivo.

Cada um tem os seus métodos para manter a concentração e o meu não só se tem revelado eficaz como agora já é quase indispensável.

Música. Mais propriamente, bandas sonoras. Se me puser numa biblioteca sem música nos ouvidos, vou distrair-me num ápice com o cair da caneta de fulano, o martelar nas teclas do computador do outro ou o ressonar do vizinho do lado – também já fui testemunha de um momento destes, na biblioteca da FCSH.

Por isso, para ajudar nesta etapa final e vos lembrar que não estão sozinhos no desespero, aqui as têm: as dez bandas sonoras que melhor companhia me fazem a estudar!

1. Revolutionary Road, de Thomas Newman

Se estou num dia em que não consigo mesmo trabalhar, esta é a banda sonora que consegue pôr-me sempre na linha. É quase como se sentisse uma certa austeridade mais ainda?  nas notas, como se incutisse disciplina directamente no meu cérebro por ser dura e grave. Se precisam de uma coisa que vos ponha na linha, esta é a escolha acertada.

2. The Curious Case of Benjamin Button, de Alexandre Desplat

Quando os nervos estão à flor da pele e metemos na cabeça que temos à frente algo quase impraticável, isso é meio caminho andado para chegar a lado nenhum. Se esse for o caso, se estiveres a enlouquecer lentamente, ou mesmo a passos largos, Desplat ajuda. Podia ter escolhido várias bandas sonoras, mas esta é aquela a que recorro mais vezes quando preciso de uma dose tranquilizante de ânimo e vontade.

3. E.T The Extraterrestrial, de John Williams

O nome de John Williams já está escrito em pedra em Hollywood. O compositor fez música para alguns dos mais conhecidos blockbusters: de Super Homem a Indiana Jones, de Harry Potter a, mais recentemente, Lincoln. Para os dias em que, em vez de estudar, apetecia enveredar numa aventura fantástica por terras desconhecidas.

4. Mildred Pierce, de Carter Burwell

Para algo mais tranquilo, soturno e introspectivo, Carter Burwell tem a resposta. Com um sentimento inquieto e uma melodia que “ataca” de mansinho, é ideal para quando é preciso abstração total.

5. The Sixth Sense, de James Newton Howard

Sofres de uma condição não tão invulgar de “I see boring work”? James Newton Howard resolve isso num ápice. Com uma banda sonora que nos deixa na ponta da cadeira a todo o momento, é difícil ficar aborrecido. Óptimo para apanhar uns sustos de vez em quando e retomar o ritmo em força.

6. Anna Karenina, de Dario Marianelli

Para um estudo sofisticado, para treinar o ar entendido que terás de fazer ao professor quando fores fazer aquela oral chata sobre aquela disciplina ou cadeira que não te interessa mesmo para nada. Mesmo que tenhas uns descuidos, ao menos deslizas com toda a classe.

7. Sense & Sensibility, de Patrick Doyle

E já que estamos numa de requinte, haverá algo mais elegante do que passear pelos jardins verdejantes do sul de Inglaterra, elas com as suas sombrinhas, eles com o seu charmoso sotaque britânico. Não é tão tragicamente perfeito ter de trabalhar ao mesmo tempo que somos transportados para tão serena paisagem? Só podia ser inspirado num romance da Jane Austen.

8. Inception, de Hans Zimmer

Só para o caso de estarem fartos de tanta tranquilidade, que até mete inveja, Hans Zimmer leva-vos às profundezas dos vossos sonhos. Verás rapidamente que entender uma matéria não tem de ser tão intricado como um filme do Christopher Nolan. E, se for… bem, ao menos tens a banda sonora perfeita para te coroar como herói quando finalmente conseguires!

9. Slumdog Millionaire, de A.R.Rahman

Esta não é, com toda a certeza, o tipo de banda sonora a que foram habituados. Com o seu uso de instrumentos diferentes e inesperados, aliado ao ritmado sentido de urgência, quase de missão impossível, A.R.Rahman transforma as folhas e cadernos em labirintos coloridos com cheiros exóticos.

10. Memento, de David Julyan

Há uns tempos atrás, este filme não só dava música ao meu estudo como ERA o meu estudo. Do que eu gosto mais no meu curso é “mandarem-me” fazer ensaios acerca de filmes brilhantes lá de vez em quando. Faz com que o resto dos trabalhos aborrecidos, demorados, trabalhosos e aparentemente impossíveis de fazer valham a pena. Espero que vos ajude tanto quanto me tem ajudado. Ah, e não se assustem com a pessoa a falar mesmo no final, quando a música pára. Entramos em tal transe que alguém a perturbá-lo soa sempre estranho.

E pronto, aqui estão as minhas recomendações! Espero sinceramente que vos motivem tanto quanto a mim. Bom estudo!

Anúncios

Sobre sofialivronoronha

Licenciada em Ciências da Comunicação e mestre em Audiovisual e Multimédia. Com sonhos tão vastos que às vezes tem medo de os perder.
Esta entrada foi publicada em Música. ligação permanente.

Uma resposta a Como tornar o estudo numa missão épica

  1. Mete isso numa playlist no YouTubas e já compraste o meu voto!

Comentar

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s